Redes sociais
Arte RADIO

Paulo Bueno Direto ao assunto

Postado dia 17/08/2016 às 10:24:45

Zona azul: Organização ou comércio?

 

O aumento do número de vagas passa a ser questionado sobre sua legalidade em Cornélio Procópio. Ruas como Avenida São Paulo, Avenida Paraná e Rua Colombo passa a ser o alvo para o aumento do número de vagas.

Pra que serve a zona azul ?

O estacionamento rotativo pago foi criado com objetivo de promover a rotatividade das vagas existentes, racionalizando o uso do solo em áreas comerciais, disciplinando o espaço urbano e permitindo maior oferta de estacionamento.

Organização

 

A cidade de Cornélio Procópio demonstrou ao longo dos anos a necessidade de implantar um sistema que garantisse mais condições de estacionamento no centro, servindo como atrativo para o comércio, facilitando assim o acesso dos clientes as lojas.

 

Essa necessidade levou a cidade a promover uma licitação, que inicialmente uma empresa experiente no ramo de estacionamentos encontrou diversas dificuldades em implantar tal sistema, ainda mais pela colocação de terminais para auto-atendimento, quase sempre apresentando problemas de funcionamento. Com a prestação do serviço mediano, e os altos e baixos da procura pelas vagas e ausência do compromisso da empresa com o contrato, levou a Prefeitura a encerrar as atividades terceirizadas.

 

Assim, abriu um novo processo licitatório, porém o número de vagas destinadas ao rotativo tem aumentado consideravelmente em Cornélio Procópio, levando o descontentamento de boa parte dos usuários, principalmente de moradores da região central da cidade.

 

Outros problemas constatados são: a ausência das vagas de carga e descarga, vagas ampliadas para deficientes físicos, permissão para idosos parar em qualquer vaga apresentando o cartão. O trânsito de Cornélio Procópio está longe de ser organizado, ruas confusas, ausência de sinalização entre outros questionamentos.  

 

A implantação do sistema que hora veio para organizar, agora está parecendo comércio. Quem controla o aumento de vagas? À estudo para a expansão do sistema? Quem fiscaliza?

 

Vamos aguardar o próximo capitulo dessa clássica novela procopense.

 

Paulo Bueno/Jornalismo RC


envie seu comentário »

Arte aplicativo