Redes sociais
Arte RADIO

Coluna KM 125 Falando e debatendo sobre politica

Postado dia 09/06/2016 às 13:31:11

A crise política e a necessidade de um outro fazer político

Por Ton Joslin

Os fatos enfrentados pela política nacional nos últimos tempos trazem a tona a necessidade de repensar o fazer político na jovem democracia de nosso país. Fica evidente diante dos fatos que o sistema eleitoral e a política de interesses economicistas chegou a um patamar já não mais tolerável para grande maioria dos cidadãos brasileiros.

Quer sua posição política seja a esquerda ou a direita, as ações realizadas por parte da classe política nacional mostra que ela é marcada por vícios e incapaz de enxergar no Estado um mecanismo que busque o bem comum e a melhora das pessoas a partir de políticas públicas efetivas. Nesse contexto fica explícito a necessidade de uma reforma política ampla e um projeto conciso de combate aos privilégios de uma minoria da população que tomam para si os frutos do poder público.

Porém, além das buscas citadas acima, é necessário começarmos uma transformação de maneira imediata e essa transformação deve acontecer agora nas eleições municipais que ocorrerão ainda esse ano, podendo ser o início de uma clara e boa mensagem de que não mais aceitaremos as velhas formas de se fazer política.

Devemos estar atentos para repudiar a figura pública que compra votos, refletindo sobre as seguintes questões: o que vale mais? Uma cesta básica ou a educação de qualidade para seu filho ou neto? Um reparo em casa ou uma saúde pública que funcione no momento em que necessitamos? A cidade não pode ter dono e a construção de um poder público eficaz passa por uma construção coletiva e não pelos desmandos de um coronel.

Desconfie da figura que para ter apoio político promete cargos, queremos pessoas competentes à frente do município e como podemos ter essa competência se os principais cargos da administração são preenchidos pelos apoiadores políticos e não por pessoas habilitadas e com conhecimento na área?

E por fim, muita atenção no dinheiro gasto em campanha, não se é estranho investir em uma campanha um valor muito maior que a soma do salário que um prefeito ganharia em quatro anos? Será que de alguma forma o candidato não vai querer recuperar o dinheiro gasto nessa campanha? E de que forma ele recuperaria esse dinheiro?

Esse pode ser o momento da transformação ou do continuísmo, cabe a nós o começo de uma efetiva transformação, devemos perceber que o fazer político só será valoroso quando tomarmos a ação de votar visando os interesses comuns e não os interesses particulares.


envie seu comentário »

Arte aplicativo